Rancho Queimado - SC

O município de Rancho Queimado está localizado a 65 Km de Florianópolis, capital do Estado de Santa Catarina, na região sul do Brasil.
Rancho Queimado começou sua história em 1787 quando o Alferes Antonio da Costa abriu uma estrada para encurtar o caminho entre o Planalto Serrano e o Litoral do Estado, chamada de “Picada dos Alferes”. Rancho Queimado tem esse curioso nome, porque havia um rancho que era pousada dos troupeiros, que  viajavam do litoral catarinense para a cidade serrana de Lages, ali pernoitavam. Um dia, houve um incendio que destruiu o tal rancho. E o mesmo, virou ponto de referência. O local conserva o nome até hoje.

O município de Rancho Queimado tem suas origens na Colônia Santa Isabel fundada em 1846, 2º Colônia alemã de Santa Catarina.
Rancho Queimado é cercado de montanhas. A região tem lindas cachoeiras, riozinhos de águas límpidas, e muitas borboletas azuis. Parece um paraíso intocado pelo tempo... A região é muito bonita com seus vales e montanhas verdejantes... 

O município explora a agropecuária. Cultivam cebola, tomate, milho e os deliciosos moranguinhos, é conhecido como capital catarinense do morango. É grande produtor de mel de excelente qualidade, de flores silvestres e eucalípto.

Clic nas fotos para ampliá-las!

Placa indicativa Rancho Queimado Obelisco aos Imigrantes, entre outros: Weber, Theis, Hillesheim, Richartz Colônia Santa Isabel em 2.002 Casa antiga de Rancho Queimado Prefeitura de Rancho Queimado - SC

Colônia Santa Isabel

A Colônia Santa Isabel foi fundada em 1847 por imigrantes recem-chegados da Alemanha. A maioria era da região do Hunsrück, no atual estado de Rheinland-Pfalz. Professavam a religião católica e a luterana. Santa Isabel foi instalada às margens do caminho-de-tropas que ligava o litoral catarinense ao planalto serrano (Lages).
A Colônia Santa Isabel e Teresópolis fizeram parte do município de Palhoça de 1894 até 31.12.1943 quando passou à jurisdição do Município de São José. A Colônia era designada de Distrito de Santa Isabel.

Em 22.09.1902 - O Distrito de Santa Isabel passa a ser denominado Rancho Queimado. As terras da Colônia Santa Isabel integra os municípios de Águas Mornas e Rancho Queimado!!!

O nome da Colônia foi uma homenagem à princesa Isabel, recém-nascida. Na época, o Brasil era um império. Inicialmente, havia a sede da colônia, que era em terreno excessivamente montanhoso e impróprio para a agricultura. Foram fundadas e povoadas as linhas coloniais Loffelscheidt e a Primeira Linha.

Mathias Joseph Hillesheim e sua família que haviam chegado em Desterro ( atual Florianópolis) em 05.01.1847 no Sumaca "Quatorze de Novembro" receberam em 16.07.1847 a Sorte nº 43 com 200 braças de frente por 1.000 braças de fundos, lado direito, na 1ª linha Velha da Colônia, no Rio dos Bugres. Foram a 2ª leva de imigrantes para a Colônia Santa Isabel.

Em 1860, o governo imperial mandou novos imigrantes para a colônia, que desde 1851 não recebia novos imigrantes. O núcleo foi ampliado, fundando novas linhas coloniais: Segunda Linha, Terceira Linha, Quarta, Quinta, Sexta Linha, Rancho Queimado, Linha Scharf e Taquaras.

Em 22.03.1861 chegou ao Brasil, o imigrante Wilhelm Richartz e família, que se estabeleceram na Colônia Santa Isabel. Em 1863, receberam terras nas proximidades da sede da Colônia, lado direito, na Sexta linha, no Rio Antinhas.

Em 1862, Johannes Weber e sua família se estabelecem na Colônia Santa Isabel, na Terceira Linha. Viveu em Santa Isabel até por volta de 1884, quando se transferiu para a comunidade do Louro, hoje Antonio Carlos - SC, onde foi professor da Capela do Louro em 1902, e seu filho Pedro Weber também.( Fonte: livro "Alto Biguaçu" de Raulino Reitz - página 328).

Em 07.02.1903 foi realizado o 1º casamento com registro Civil em Rancho Queimado. O noivo era Leonardo Theisges Jr, 22 anos e a noiva, Dorothea Eli, com 21 anos. Ele era filho de Leonardo Theisges e Maria Weber. E a noiva, filha de Guilherme Eli e Margaretha Fritzen.
Fonte: "A epopéia de uma imigração" - páginas 317 e 318, autor: Toni Vidal Jochem.

A região é muito interessante pelo aspecto histórico-cultural. As Colônias alemãs: Vargem Grande, Teresópolis e Santa Isabel entre outras, foram fundamentais na História de Santa Catarina. As colônias deram origem às cidades: Rancho Queimado, Águas Mornas, Antonio Carlos, Biguaçu, Antonio Carlos, Anitápolis, S. Pedro de Alcântara, etc. Os imigrantes são os fundadores destas cidades. Estes, cumpriram com a finalidade da imigração na região sul, que era colonizar essa região do Brasil, e assim evitar as invasões de espanhóis, argentinos e paraguaios que invadiam essa região na época. A região é habitada pelos descendentes dos imigrantes alemães. Ainda guarda a herança cultural dos velhos tempos...

Na Colônia Santa Isabel, podemos visitar as igrejas católica ( mais antiga) e Evangélica Luterana que foi construída em 1860. Há os antigos cemitérios onde repousam nossos ancestrais imigrantes. Na época, havia uma certa hostilidade entre as pessoas de religião católica e as Luteranas. Cada uma tinha seu próprio cemitério ao lado da sua respectiva igreja. Não queriam ser enterrados no mesmo cemitério.
Os imigrantes enfrentaram muitas dificuldades: solo montanhoso e difícil para agricultura, ataque de Bugres (índios da região), falta total de infraestrutura, mas superaram tudo com muito sacrifício.
Também há um obelisco, com os sobrenomes dos pioneiros da colônia. Foi uma homenagem prestada por ocasião dos 150 anos da chegada dos primeiros imigrantes. Com muita emoção, pude ver os sobrenomes de meus antepassados: Weber, Hillesheim, Richartz, entre tantos outros...
Terra natal de meu avô, Samuel Henrique Weber , que nasceu em 1904 na Colônia Santa Isabel, no atual município de Rancho Queimado. A Colônia Santa Isabel foi o "pouso" de meus antepassados imigrantes e o "berço" da primeira geração nascida em solo brasileiro.

Alguns sobrenomes de Imigrantes encontrados em Rancho Queimado (Colônia S. Isabel e Theresópolis):
Arns, Back, Bauer, Becker, Beppler, Beretta, Berns, Bilk, Boeing, Bömmel, Claumann, Dörner, Eger, Fertig, Feussen, Forster, Fritzen, Goedert, Grabner, Hammes, Haveroth, Hedel, Heinz, Hillesheim , Hoffmann, Janning, Jasper, Jochem, Kammer, Kniss, Kirchner, Knabben, Kock, Kraus, Hülkamp, Kunz, Kürten, Loch, Luchtenberg, Lückmann, Lutz, Mayer, Mees, Meurer, Morsch, Müller, Passig, Petersen, Petri, Richartz , Rohling, Salm, Schaefer, Scheidt, Schilemper, Schmitz, Schmöller, Schneider, Schütz, Senem, Sebold, Sell, Steffens, Theisges, Vanbömmel, Wagner, Weber , Weingaertner, Weiss, Wenzel, Westphal, Werlich, Zimmermann.

Mapa de S. Catarina

Informações:

  • População: 2.440 habitantes
  • Área: 270,2 Km
  • Altitude= 810 m
  • Temperatura média anual = 16,9 ºC.
  • Gentílico: Ranchoqueimadense
  • Emancipação política do município: 08.11.1962 (aniversário do município).
  • Cidades próximas: Águas Mornas, Anitápolis, Angelina, Alfredo Wagner
  • Prefeitura: Telefone: (48) 275-0111 e  275-0112
  • "Casa do imigrante" - Ao lado do prédio da Prefeitura - pequeno museu do imigrante...
  • Casa de Campo de Hercílio Luz - é Museu Histórico de Hercílio Luz

Livro de Visitas

Glacy Weber Ruiz

E-mail:
weber.ruiz@gmail.com
glacy_wrc@hotmail.com


Familia Weber | Benta Mattos | Família Hillesheim | Descendentes Weber | Anitápolis - SC | Lista de Sobrenomes