início - Colônia

local

imigrantes

hoje

1829 - Rio Negro

Rio Negro -PR

alemães (248)

Rio Negro - PR

1847 - Colônia Thereza

próxima ao Rio Ivaí

franceses (87 imigrantes)- fundador: Dr. João Maurício Faivre

Ivaí - PR

1852 - Colonia Superagüi

Paraná

alemães, suiços,franceses e outros (85 imigrantes)

Guaraqueçaba- PR

1856 - Colônia Teófilo Otoni

Paraná

alemães

Teófilo Otoni

1860 - Colônia do Assungui

Na Ribeira - Estrada do Assungui

ingleses, franceses, italianos e alemães (949 imigrantes)

Cerro Azul - PR

1869 - Colônia Angelina

Curitiba - PR

alemães, suiços,franceses e argelinos

Curitiba

1870 - Colônia Pilarzinho

Curitiba

alemães, poloneses e italianos (242 imigrantes)

Curitiba - PR

1871 - Col. São Venâncio

Curitiba

alemães, poloneses e suecos (160)

Curitiba - PR

1871 - Colônia Tomás Coelho

Araucária

poloneses

Curitiba -Paraná

1873 - Colônia Abranches

Curitiba

alemães e poloneses (323)

Curitiba

1875 - Colônias: Colônia Santa Cândida

Curitiba

poloneses, suiços e franceses (340)

Curitiba - PR

1875 - Colônia Orleães

Curitiba

poloneses, italianos, suiços, franceses e outros (290)

Curitiba _ PR

1875 - Colônia Alexandra

Paranaguá

italianos (320)

Paranaguá - PR

1875 - Colônia Pereira

Paranaguá

italianos e espanhóis (115)

Paranaguá - PR

1876 - Colônia Tomaz Coelho

Araucária

Poloneses, galicianos e silesianos (1.295)

Araucária - PR

1876 - Colônia Santo Inácio

Curitiba

poloneses, silesianos e galícios

Curitiba- PR

1876 - Colônia Lamenha

Curitiba

alemães e poloneses (746)

Curitiba- PR

1877 - Colônia Rivière

Curitiba

alemães, franceses e poloneses (406)

Curitiba - PR

1877 - Linha Entre Rios

Morretes

italianos (50)

Morretes - PR

1877 - Colônia Nova Itália

linha América

italianos (150 imigrantes)

Morretes - PR

1877 - Linha Sesmaria

Morretes

italianos (620)

Morretes - PR

1877 - Colônias: Cari, Marques, Rio Sagrado

Morretes

italianos

Morretes - PR

1877 - Colônias: Ipiranga, Zulmira e Turvo

Antonina

italianos

Antonina _ PR

1878 - Colônia Santa Felicidade

Curitiba

italianos (580)

Curitiba - PR

09/1878 - Colônia S. Maria do Novo Tyrol da Boca da Serra

S. J. Pinhais - PR

trentinos, tirolêses (italianos do Valle di Primiero)

Piraquara - PR

1878 - Colônia Muricy

São José dos Pinhais

poloneses e italianos (397)

São José dos Pinhais-PR

1878 - Colônia Antonio Rebouças

Campo Largo

italianos e poloneses (244)

Campo Largo - PR

1878 - Colônia Octávio (linha Taquary)

Ponta Grossa

alemães do Volga (214)

Ponta Grossa - PR

1878 - Colônia Octávio

núcleos: Tibagy, Guaraúna, Uvaranas, Floresta, Eurídice

alemães do Volga

Ponta Grossa - PR

1878 - Colônia Virmond

Lapa

alemães do Volga (44 imigrantes)

Lapa - PR

1878 - Linha Santa Quitéria

Palmeira - PR

alemães do Volga (175 imigrantes)

Palmeira-PR

1878 - Colônia Sinimbú

Linha Marcondes ( Pugas )

alemães do Volga (50 imigrantes)

Palmeira-PR

1878 - Núcleo Hartmann

Palmeira - PR

alemães do Volga (149 imigrantes)

Palmeira - PR

1886 - Colônia Santa Christina
depois, Colônia Cristina

Campo Largo

294 imigrantes poloneses

Araucária-PR

1890 - Colônia Contenda

Contenda

poloneses

Contenda-PR

04/1890 - Colônia Cecília

Palmeira

anarquistas italianos (150)

Palmeira-PR

1891 -Colônia Sta. Bárbara

Palmeira

alemães,poloneses, ucranianos e italianos

Palmeira-PR

1891 -Colônias: Augusta Victoria e Lucena

Rio Negro

alemães e poloneses (250)

Rio Negro-PR

1892 -Colônia Apucarana

Guarapuava

poloneses e ucranianos (1342 imigrantes)

Guarapuava-PR

1895 - Campo da Galícia

ao longo da atual Av. Cândido Hartmann - Curitiba

ucranianos

bairro do Bigorrilho, Curitiba-PR

1896 -Colônia Prudentópolis

Prudentópolis (com 30 núcleos)

poloneses, alemães, ucranianos e outros (16.637)

Prudentópolis-PR

1907 - Colônia Senador Correia

Guarapuava

Ucraniananos (3.132 imigrantes)

Prudentópolis-PR

1907 - Colônia Ivay

Ipiranga - linhas Calmon e São Roque

Ucranianos, Alemães, Poloneses, Holandeses (4.840 imigrantes)

Ipiranga-PR

1908 - Colônia Irati

Irati

alemães, poloneses, holandeses e ucranianos (1.379)

Irati-PR

1910 - Colônia Cruz Machado

Guarapuava

poloneses, alemães e ucranianos (4.474)

Guarapuava-PR

1911 - Colônia Carambeí

Castro

holandeses (450)

Castro-PR

1924 - Colônia São Miguel

Joaquim Távora

lituanos, letônios, poloneses, ucranianos e alemães

Joaquim Távora-PR

1924

redondezas do bairro Uberaba,Campo Comprido,Araucária

japoneses

referidos bairros de Curitiba-PR

1927 - Colônia Dantzig

depois "Vila de Nova Dantzig

poloneses e alemães

Cambé-PR

1927/1932 - Gleba Três Barras

Assahi

japoneses

Assaí-PR

1933 - Gleba Roland

Rolândia

alemães

Rolândia-PR

1937 - Colônia Esperança

Arapongas

eslavos e japoneses

Arapongas-PR

1940 - Colônia Cafezal

Rolândia

japoneses

Rolândia-PR




Paraná e seus Imigrantes

O Paraná era habitado pelos índios tupi-guaranis e Caingangues. Em 1610, os portugueses, à procura de ouro, fundaram Paranaguá, que em 1648 se tornou Vila, por Gabriel de Lara. Curitiba foi povoada por Baltazar Carrasco dos Reis e foi elevada à Vila em 29.03.1693. Na época, só havia uma estrada usada pelos tropeiros, com alguns pontos de pouso, em suas viagens em direção a São Paulo.
Nesses lugares de pouso,(no 2º planalto) surgiram cidades como Lapa, Castro, Ponta Grossa...

O 3º planalto foi parcialmente explorado por Afonso Botelho e, Guarapuava foi fundada em 1818 e Palmas em 1840. O norte-pioneiro, Wenceslau Brás, Jacarézinho foi colonizado por paulistas e mineiros.

O norte do Paraná, pela Cia de Terras Norte do Paraná, com a fundação de Londrina pelo Lord Lovat ( inglês).

Maringá e o oeste - colonizado pela Indústria Madeireira Rio Paraná S/A - Maripá, em 1946, que era de propriedade de alemães e italianos e vendiam lotes rurais e urbanos e fizeram o efetivo povoamento da região.

Não se pode falar em colonização do Paraná, sem falar nos imigrantes. Depois dos portugueses e espanhóis, os alemães se estabeleceram no Paraná. Isso ocorreu em 1829, no atual município de Rio Negro, que foi a primeira Colônia alemã no estado. O Paraná é um estado com grande diversidade étnica. É constituído por imigrantes alemães, japoneses, poloneses, ucranianos, italianos, espanhóis e outros, que ajudaram construir a riqueza da nação brasileira.

Entre 1853 e 1886, o Paraná recebeu cerca de 20 mil imigrantes. Marechal Cândido Rondon recebeu grande nº de imigrantes alemães. Sua cultura reflete nas fachadas das casas, na culinária e no rosto de seus habitantes. É considerada a cidade mais alemã do Paraná. As cidades de Rolândia, Cambé, Teófilo Otoni, Guaraqueçaba, Castro, Curitiba, Irati, Ponta Grossa, Guarapuava e algumas outras, receberam imigrantes alemães.

Em 1860, começaram a chegar os imigrantes italianos, poloneses, ucranianos, japoneses, neerlandeses. Os poloneses se fixaram mais na região de Curitiba, Araucária, Irati com seus carroções de toldo; os italianos na região de Colombo, Santa Felicidade, eram os agricultores e comerciantes e ficaram famosos com sua culinária; os alemães em Rio Negro, Rolândia, Cambé, etc. se destacaram na agricultura e indústria; os japoneses fizeram suas Colônias em Assaí, Uraí, Bandeirantes e Londrina, famosos com sua hoticultura; os ucranianos em Ponta Grossa, Cruz Machado, na agricultura e artesanato; os neerlandeses se fixaram na região de Castro, Ponta Grossa, Guarapuava, se destacando na indústria de laticínios. Todos contribuiram para o desenvolvimento e progresso do Paraná.

As Colônias de imigrantes deram origem às cidades. Por exemplo: cidade de Castro foi colonizada por imigrantes alemães, holandeses, ucranianos, poloneses e japoneses. Tão diversa nas etnias, mas há grande respeito à cultura do outro. Tudo representado na "Casa da Cultura", "Casa da Praça", "Museu do Tropeiro", e também, no aspecto arquitetônico e paisagístico da cidade. Tudo nos remete à Europa.
O museu do imigrante tem o 6º maior moinho do mundo construído fora da Holanda. Na Colônia Terra Nova, se pode apreciar a culinária alemã.
No outro extremo, no norte do Paraná, a Colônia japonesa deu origem á cidade de Assaí. A palavra vem de "assahi", que significa "sol nascente". Também as cidades de Uraí e Bandeirantes e mesmo a grande Londrina, tem grande concentração de japoneses.

Esses povos, com culturas tão diferentes, e em convívio harmonioso, com suas Colônias em regime de pequenas propriedades fizeram a grandeza desse Estado. Suas diferenças só vieram acrescentar na formação cultural de um povo.

Bibliografia e outras Fontes:

  • "Os poloneses no Brasil - Subsídios para o problema da colonização polonesa no Brasil" - autor: Kazimierz Gluchowski
  • "Memórias & Cotidiano - Cenas do Norte do Paraná: escritos que se recompõem"
    - 1995 - IPAC/LDA - UEL. Organizador: Jorge Cernev
  • Londrina/história
  • Imigração Polonesa
  • Poloneses
  • IBGE
  • "O Anarquismo da Colônia Cecília" - STADLER de SOUZA, Newton
    Ed. Civilização Brasileira Rio de Janeiro © 1970
  • "Colônia Imperial Santa Maria do Novo Tirol da Boca da Serra" - 120 Anos de História 1878 -1998
    TOMAZ, Antonio & THOMAZ, Ariel José - Curitiba Editare © 1998



Livro de Visitas

Glacy Weber Ruiz

E-mail:
weber.ruiz@gmail.com


Família Weber | Família Ruiz | Familia Hillesheim | Londrina-PR | Luxembourg | Família Miliauskas | Familia Silva Mattos